terça-feira, junho 12, 2007

trotsky e as orquideas

Este post contém publicidade, e já vão perceber a quê. Mas primeiro a notícia (e desta vez não serei eu o portador da má nova, aqui já encontrarão as referências básicas ao assunto): morreu ontem Richard Rorty, filósofo americano. Não fosse ser americano e a falta de armadura analítica, Philosophy and the Mirror of Nature (1979) teria sido melhor recebido na academia americana, sobretudo em filosofia. Mas chegara Derrida, traduzido para inglês no ano anterior. Pouco importa.

Richard Rorty começou a licenciatura aqui na Universidade de Chicago logo a seguir à 2a GM. Com 15 anos. Vinha com duas obsessões na cabeça: trotsky dos pais, e as orquídeas selvagens do interior do estado de New Jersey. Em tempos de Leo Strauss, deve ter sido um pesadelo para um miúdo de 15 anos ter que defender, para depois os rejeitar e voltar a aceitar, pragmatistas como John Dewey (e não por acaso, acabaria a licenciatura em Yale). É nesta tribo pragmatista que Richard Rorty será encaixado. Mas esta história de Richard Rorty -- "Trotsky and the Wild Orchids" -- fala também do long lost engajamento filosófico. Por pouco, o pai de Richard Rorty quase acompanhou John Dewey ao México para a comissão de inquérito às acusações feitas a Trotsky (1937). Pois, Dewey e Trotsky. Richard Rorty seria novo na altura, mas ainda assim fala-nos dos trotskystas, acossados e perseguidos até nos estados unidos, que a família foi alojando durante temporadas. É destas seitas que o meu povo gosta.

Vamos então à publicidade: pediram-me para divulgar o blog do acampamento da 4a Internacional (S.U.). Este ano será em França e tendo em conta as probabilidades, será dos poucos sítios no mundo onde se poderão apanhar trotskystas e orquídeas selvagens. Aqui fica a morada.

2 comentários:

JL disse...

chamar-lhes trotskistas parece-me excessivo, mas não insultuoso, evidentemente. ;)

FC disse...

pois, e resta saber quem será mais selvagem, se as orquídeas ou os trotskistas...

É bom ver que ainda há quem passe por aqui, bem-haja para ti.