domingo, janeiro 01, 2006

O meu ano começou na câmara dos horrores

Festa de passagem de ano em casa de um casal de artistas. Ele, artista plástico, mantém o seu estúdio na cave (onde tirei estas fotos, podem ver maiores se clicarem nelas - espero mesmo que esta possibilidade seja do vosso conhecimento). O namorado pinta no andar de cima. Estas bonecas de aspecto macabro são parte do trabalho de um deles. A festa foi tranquila, e ainda assim me aguentei estoicamente até às 11 da manhã portuguesas com uma estúpida de constipação que trouxe de Portugal (any accidental english readers: this does not mean 'constipated' but flu symptoms).

Algum rap da costa oeste, uma passagem muito apreciada de Arthur Russel (fiquei surpreendido Kid, sim senhor!), Dj's flutuantes numa festa em que toda a gente tinha o que era preciso para ser DJ. E esta é uma grande diferença com as festas em Lx (beware, generalização essencialista): por aqui prefere-se ouvir o que outros têm para mostrar, fazendo da pista de dança também um espaço de aprendizagem musical e não só uma dança de inchadas vaidades.
Às tantas, falando com uns tipos que preparam um filme de influências godardianas e situacionistas (até falámos de "fetishes esquerdistas", vê lá tu ó Tiago), vi-me a criticar a imagem romântica que estes defendiam da Europa como sendo um espaço de liberdades sociais e culturais inatacáveis. A Europa deste casal (ela americana, ele de mãe espanhola) é uma quimera de muitos problemas - e ainda assim foi de Barcelona ou Marselha (a "capital europeia do hip-hop", como a descreveste) que conversámos.

Et pourtant, por aqui não há glamour nihilista...
Gente, um grande ano para vocês. Que sejamos todos mais felizes.

9 comentários:

sara zora disse...

o único "não-artista"?...não me parece...

FC disse...

Só se me considerasse também um artista, coisa que não faço. Não basta ter pretensões de. Sou mais um atleta de esquerda.

sara zora disse...

e tens feito exercício?

FC disse...

Querida Sara, agradeço a tua preocupação com a minha saúde. Não tenho feito muito exercício, para te dizer verdade, mas estou com alguma vontade de andar à porrada.

Anónimo disse...

devias ter dito enquanto cá estavas. limpava-te o sarampo

fc disse...

Se isso nos fizesse mais feliz, Sara. Bom ano para ti também!

IlCruFantastico disse...

Curiosidade de um leigo: ó meu, flutuante quer dizer exactamente o quê, pá? Também gostaria de experimentar :)

serpa

Danu Blau disse...

não havia um dj fixo - isso seria sinal que a festa era bem mais importante daquilo que foi. mas havia muita gente com competência de dj; faziam-se pequenas listas em ipods ou outras coisas do género e os dj's iam "flutuando" - ou rodando entre si, o que preferires.

bom ano para ti!

FC disse...

não apanhei a piada à primeira, sorry :)