terça-feira, fevereiro 07, 2006

Apple, 1984

A propósito da vinda de Bill Gates a portugal

Aí em baixo está uma sugestão de uns anúncios que passaram este ano nos intervalos do superbowl (futebol americano). Estas coisas dificilmente têm eco em portugal, mas há ali uns bem engraçados. Dos que vi, a Sagres e a Super Bock bem que poderiam aprender alguma coisa com os da bud light - falta-lhes aquela capacidade de story-telling em 30 segundos que tornam os anúncios uma experiência interessante (alguém ainda se lembra daquele programa de anúncios que passava na rtp 2 - ou seria a tv2?, ajudem-me, com o tipo de bigodes?).

Enfim. São 91 milhões de espectadores (com um pico para anúncios, ver crítica no washington post). Não é de admirar que as grandes empresas façam tudo para passar as suas mensagens (mesmo em competição entre si: SUV hummer para um lado, veículos híbridos para outro).
Adiante. Lembrei-me que esta sugestão poderia ser interessante a propósito deste post (em obitoque) , sobre a vinda de Bill gates a Portugal. É um anúncio de 1984 (clicar na imagem para o ver), estreado no intervalo do superbowl. Este é o texto da voz-off (de "1984"):

For today we celebrate the first, glorious anniversary of the Information Purification Directive! We have created, for the first time in all history, a garden of pure ideology, where each worker may bloom secure from the pests of contradictory and confusing truths. Our Unification of Thought is a more powerful weapon than any fleet or army on Earth! We are one people. With one will. One resolve. One cause. Our enemies shall talk themselves to death. And we will bury them with their own confusion! We shall prevail!
Faltam estas três frases, originalmente no texto de Orwell:
My friends, each of you is a single cell in the great body of the State. And today, that great body has purged itself of parasites. We have triumphed over the unprincipled dissemination of facts. The thugs and wreckers have been cast out. And the poisonous weeds of disinformation have been consigned to the dustbin of history. Let each and every cell rejoice!
Segundo algumas referências que apanhei, o anúncio foi uma bomba, quando passou na tv, há já 22 anos. Podem vê-lo aqui (realizado por Ridley Scott). Entretanto, está a decorrer uma guerra no wikipedia sobre o que escrever sobre este anúncio. A história ainda não está escrita, apetece dizer-me. Vejam a discussão em wikipedia aqui.

E já que estamos em publicidade, acrescentarei um link para o blog de Hidden Persuader (sim, a mesma dos bichos-carpinteiros...). Vale muito a pena para os maníacos da publicidade e imagem (como nesta sugestão). Hidden P. english version here.

6 comentários:

A. Cabral disse...

A nota que fazes, da conveniente seleccao do texto de Orwell, e' bem mais interessante que a discussao que divide os Wikis. Parece-me um debate um bocado trivial sobre em que intervalo apareceu o anuncio... Nao e' esta uma fragilidade da wikipedia, que pode ser facilmente sabotada com preciosismos?

nongoloza disse...

poderia dizer que é a fragilidade da democracia. Pode dar azo a muitos problemas (a começar na possibilidade de qq pessoa editar os artigos), e já houve confusões por causa disso, como na falsa biografia de um tipo que esteve online durante um ano. A versão inglesa já obriga ao registo de utilizadores-editores, as outras (ainda) não.

Não deixa de ser um instrumento fundamental por causa disso. De qq modo, este artigo em particular é interessante pois está na terra de ninguém das edições: ninguém se entende sobre o que deverá constar no artigo, e isso é que me parece delicioso.

hidden persuader disse...

"acrescentarei um link para o blog de Hidden Persuader (sim, a mesma dos bichos-carpinteiros..." (risos) porque será que uma pequena grande minoria continua a achar que eu sou a JAD?? Enfim ... não basta ser "oculto", agora sou mulher!

A. Cabral disse...

Ainda sobre o Wiki, tem havido muita conversa em torno do modelo de submissao, e umas comparacoes generosas com enciclopedias tradicionais. Pelo que tenho visto terminam sempre com um louvar do grande causa liberal, o que a mim causa e' ansiedade. Num aspecto obvio nao e' um exemplo de liberalismo em accao, porque o acesso e' livre e direitos de propriedade nao existem...

Ainda que tendo mais que uma costela de libertario, duvido destas magicas de ordem por geracao espontanea (de conotacoes Hayekianas).

nongoloza disse...

Hidden, as minhas desculpas. Nunca te confundi com a JAD, mas ingenuamente tomei 'hidden persuader' como sendo do género feminino. Assim como assim, um pouco de gender-bending nunca fez mal a ninguém ;)

nongoloza disse...

A.Cabral, partilho das tuas ansiedades, e sou daqueles que acha que ainda muita água vai passar por baixo desta ponte. De qualquer modo, como propósito geral (organizar informação e disponibilizá-la gratuitamente) é uma iniciativa de louvar. Penso eu de que.