terça-feira, novembro 14, 2006

a princípio é simples

Está tudo a mudar.
[e então reparo que ando a ouvir 'o primeiro dia' do Sérgio Godinho desde as eleições da semana passada. Pode mesmo ser um primeiro dia, o do resto das nossas vidas?]


Mas é quando mais quero ser um proud american que 'ser americano' me é negado.
[quase literalmente: poucos dias a seguir às eleições fui a um banco onde tacitamente me foi rejeitado crédito, acessível ao americano-tipo. Se em Fevereiro este tipo se orgulhava de vencer a vizinha de baixo agora não estou para me juntar ao coro orgulhoso de 'aliens residentes'. (e agora à boca pequena, para quem acompanhou a história da vizinha de baixo: a bruxa má voltou para o mesmo edifício que deixei em Junho para ocupar o meu apartamento)]


E então quero sair daqui. Mas para onde?
[Reservo um voo para Angola via CapeTown. E entro noutras repúblicas burocráticas: assinatura para sair para mais tarde poder entrar, comprovativo de rendimentos (e pelo menos $100/dia) enquanto tenho que aguentar as raízes que já aqui vou tendo - e para manter o registo materialista, sou afinal o feliz proprietário de uma viatura e o alocatário de um belo apartamento.]

Afinal tudo é complicado. E assim vou continuando.
[em tempos de indefinição, depois de um ano de blog, dois de Chicago e a começar o terceiro de UofC. Bons tempos para receber gente fina: bem-vindo à confusão A. Cabral]

3 comentários:

FeminineMystique disse...

há outras aventuras na terra do american dream que talves te interessem: http://www.bocadolobo.blogspot.com/

FeminineMystique disse...

talvez com z. oops...

Anónimo disse...

Calvin!Aqui também tudo vai mudar quando ganharmos o referendo!tamos a bombar!Besos e tou xeia de saudades tuas!