terça-feira, março 07, 2006

as manhãs que cantam

Quem me conhece bem (suficientemente bem para saber destes pormenores) sabe que tenho despertares...uhm...difíceis. Ultimamente, tenho acordado de duas maneiras: ou com alguém que me telefona falando em árabe (eu respondo em português) ou com as notícias na rádio. Em qualquer dos casos retenho muito pouco destes momentos na cama com. Tanto mais que me pergunto muitas vezes, mais tarde, onde é que já ouvi tal ou tal notícia.
O eco distante desta manhã: Ali Farka Touré morreu.

Sem comentários: