segunda-feira, fevereiro 20, 2006

um toto nada anti-americano

Encontrei esta coisa por acaso, no blog dos marretas (aqui). Não vai resposta porque está 3 anos atrasada.

Terça-feira, Fevereiro 25, 2003

Esta noite houve debate na RTP. Curiosamente, parece que não há anti-americanos. Até um totó do ATTAC disse que gostava de muitas coisas dos EUA. Ele, ali, de repente, com a pressão das câmeras só se lembrou do cinema independente. Mas que raio se passa com esta gente da esquerda anti-globalização e o cinema independente americano? Será o qualificativo?
Tenho pena deles, por não poderem ver os filmes do Spielberg e do Scorcese e as animações da Disney e da Dreamworks. Se calhar nem podem ver os filmes do apóstolo anti-americano Oliver Stone, que só realiza para grandes estúdios.
Quem, dos EUA, só gosta do cinema independente e da teoria política do Prof. Chomsky fica assim... Coitados...

5 comentários:

A. Cabral disse...

Hoje toda a gente me bate na tola por gostar de cinema americano? Na minha tasca foram dois, e agora os marretas, via Danu Blau (ainda que neste caso por ironia, calculo que estejas do meu lado?).

Danu Blau disse...

entao nao! No debate da RTP tive que gramar com o Jose Manuel Fernandes a dar-me na cabeca por partir montras em Genova, claro que estou do teu lado! I'm all over american cinema (excepto as pipocas, acho pessimo)

A. Cabral disse...

Olha que as pipocas salgadas de quando em vez com uma cervejita ate caiem bem...

Abraco,

Miguel Caetano disse...

Realmente, vistas curtas. A América um dos países mais contra-culturais do mundo. Cinema independente é apenas um detalhe na "bigger picture" contra-cultural: música, software livre, teoria crítica, etc, etc.

Danu Blau disse...

miguel, o problema é pensar nisso com uma câmara à frente (em directo), a fátima campos correia (?) a interromper-te com perguntinhas parvas e o josé manuel fernandes a chatear o juízo com a história de génova. Há 3 anos atrás. Mas no final nem sequer me saí assim tão mal...digo eu.