segunda-feira, fevereiro 06, 2006

o barulho infernal da multidão

Há uma cena em "The Crowd", um filme de King Vidor de 1928, em que o personagem principal desafia uma multidão ensurdecedora, pedindo silêncio. É um pedido de silêncio num filme mudo - apesar do acompanhamento musical (pobre do pianista, 2 horas a tocar para 30 gatos pingados que assistiam à rara exibição deste filme em 35 mm). A cena parece absurda: John tenta acalmar uma multidão em nome da filha que viria a morrer. Um polícia diz mesmo: "get inside! The world can't stop because your baby's sick!"

Mas o silêncio é por vezes precioso e preciso. E é aí que estou agora em relação à polémica dos cartoons. Não acredito no propósito benemérito de quem publicou inicialmente os cartoons; não alinho na agenda editorial do jornal dinamarquês (em tudo coincidente com a extrema-direita europeia); não acredito que o ridículo e a blasfémia (por muito que ache a blasfémia ridícula) seja o caminho para a democracia e o secularismo nos países muçulmanos. Não questiono o direito de publicação dos cartoons (era o que faltava). Mas questiono a sua publicação, precisamente pela necessidade de desafiar a podridão de certos regimes que se reivindicam do nome de maomé.

Por isso, como em "the crowd", estou numa de silêncio. Não é por aqui que vamos lá.

5 comentários:

Miguel Caetano disse...

Cá por mim, isto não foi mera coincidêneia o facto de só agora depois destes meses todos da publicação inicial se terem desencadeado os protestos violentos.

Mais uma acha (irónica) para a fogueira: Eis uma iconografia da blasfémia no blog "The religious policeman" - The diary of a Saudi man, currently living in the United Kingdom,
where the Religious Police no longer trouble him for the moment.

A. Cabral disse...

Prefiro muito mais "mob" a "crowd", tem bem mais poder e actividade. "Crowds" sao o que?

Danu Blau disse...

a. cabral, slippery terms, penso eu de que... Crowd aqui funciona sobretudo como paralelo entre o titulo do filme e as multidoes em furia ardendo embaixadas (ou, sem sentido oposto, gritando na defesa intransigente da liberdade de expressao).

Miguel, bem-aparecido! 'Acha para a fogueira', de facto. Tb acho que sim, nada disto e' coincidencia e e' possivel que tenham sido usados neste momento por conveniencia dos regimes em questao. Torna-se complicado seguir o emaranhado desta historia com atencao, tal e' a quantidade de coisas que vao saindo. Sera' verdadeiro, o blog que linkas? Fico sempre de pe atras, tal e' a qtdade de informacao e contra-informacao. Ainda agora se diz que parte dos cartoons divulgados no medio oriente como tendo sido publicados na europa sao na verdade falsos...

E' demasiado barulho para que nos possamos entender...

Miguel Caetano disse...

Danu,

Não sei se o blog é falso ou não, mas recebi um email com um link para um site muito mais completo, É interessante ver a ilustração que o Gustave Doré fez relativa à cena do profeta na "Divina Comédia" do Dante...

"Mohammed Image Archive
http://www.zombietime.com/mohammed_image_archive/

from the Web page: Depictions of Mohammed Throughout History

Controversy over the publication of images depicting Mohammed in the
Danish newspaper Jyllands-Posten has erupted into an international
furor. While Muslims worldwide are calling for a boycott of Denmark and
any other nation whose press reprints the cartoons, Europeans are trying
to stand up for Western principles of freedom of speech and not cave in
to self-censorship in the name of multiculturalism and fear.

While the debate rages, an important point has been overlooked: despite
the Islamic prohibition against depicting Mohammed under any
circumstances, hundreds of paintings, drawings and other images of
Mohammed have been created over the centuries, with nary a word of
complaint from the Muslim world. The recent cartoons in Jyllands-Posten
are nothing new; it's just that no other images of Mohammed have ever
been so widely publicized.

This page is an archive of numerous depictions of Mohammed, to serve as
a reminder that such imagery has been part of Western and Islamic
culture since the Middle Ages -- and to serve as a resource for those
interested in freedom of expression."

Danu Blau disse...

Miguel, o link que sugeres é mto interessante e vale a pena ser visto. Sobretudo para perceber como esta polémica vai muito para lá da publicação dos cartoons. Nada de muito novo aí, embora com motivos pouco claros.

Como nesta notícia do guardian: afinal, o mesmo jornal que publicou estes cartoons recusou há uns tempos umas caricaturas de cristo...