terça-feira, janeiro 24, 2006

A revolução tem sempre um preço

O fetishismo da mercadoria servido em rótulo de insubmissão. A revolução custa 10$39 e é para moer.
Actualizado: andei a ver aí umas coisas sobre o café que bebo todas as manhãs. E descobri isto. Café de chiapas e timor, no supermercado mais próximo.

Sem comentários: