quarta-feira, janeiro 11, 2006

cenas de violência doméstica

a polícia (da univ chicago, mais quand même) fez-me uma visita em casa ontem à noite. Evidentemente, foi a vizinha que a chamou. pela primeira vez, um polícia e eu concordamos no diagnóstico: loucura. Não será preciso retomar a saga (julgava simplesmente que tinhamos acabado), mas em linhas gerais eu e a minha vizinha de baixo somos como aqueles casais divorciados em litígio.

eu não quero nada dela e muito menos com ela. pode ficar com a casa, com os anéis, os filhos, e tudo mais. (palavras dessa grande poetisa, Vais-te embora / Podes levar daqui tudo o que houver / Vais-te embora / Eu nem partilhas vou querer fazer / Vai-te embora, / Leva o que tinhas e o que hoje tens / Vai-te embora, /Até prescindo a comunhão de bens).
Só quero respeito e não admito que interfiram com a forma como decido viver, as horas a que me vou deitar, com quem o faço e se o faço com alguém ou não. E muito menos, e isso não admito mesmo, ficarei intimidado com as visitas da polícia. Ela é louca, louca, louca - mas não me vai contagiar com a sua loucura.

6 comentários:

Anónimo disse...

c, responderei ao teu e-mail logo q meta a cabeça npo sítio (isto é, decidir o q fazer à vida).
Consegues arranjar uma photo da vizinha? Põe no blog.
al

paparazzi da vizinha de baixo disse...

uma foto de família é difícil, a ver vamos. quanto ao mail, t'inquiète pas. o único problema que tens que resolver neste momento é mesmo o que fazer da vida. e já sabes qual é a minha opinião sobre isso.

bonne chance

bofia de proximidade disse...

Pela primeira vez concordas-te com um policia? duvido.

public enemy disse...

a galinha da vizinha é sempre melhor que a minha. fuck the police

Julie S. disse...

e porque não convidá-la para a orgia?aposto que é o que faz falta na vida dela.

call of duty disse...

julie: foi isso que me disseram na agência imobiliária hoje. bem, não foi bem convidá-la para uma orgia, mas foi dizer que ela queria algo comigo. só a ideia arrepia, terias que a ver...

public enemy e bofia de proximidade: os polícias (e as galinhas) são nossos amigos (e amigas).